Curso de Graduação em
Engenharia de Agrimensura e Cartográfica

Futuro Estudante

Histórico | Definição | Atribuição | Mercado de Trabalho | Disciplinas | Empresa Júnior | Centro Acadêmico | Pesquisa

 

Histórico

A agrimensura é uma das mais velhas artes praticadas pelo homem. Os registros históricos indicam que essa ciência se iniciou no Egito, quando Heródoto (1400 a.C.) determinou que fosse feita a divisão das terras às margens do Nilo, em glebas, com a finalidade de lançamento de impostos. Como as enchentes anuais nesse rio arrebatavam porções dessas glebas, foram indicados agrimensores para restabelecer os limites. Os pensadores gregos desenvolveram, então, a Ciência da Geometria, em conseqüência desse trabalho.

O curso superior de Engenharia de Agrimensura é relativamente novo no país. Foi instituído no Brasil pela Lei nº 3.144 de 20 de maio de 1957 no governo de Juscelino Kubitscheck e regulamentada pelo decreto nº 53.943 de 03/06/64, que confere, em seu art.3º a seu concluinte o título de Engenheiro Agrimensor.

A primeira escola de formação de profissionais neste ramo, foi estruturada em Araraquara (SP). Atualmente, existem no Brasil 21 escolas que ministram o Curso Superior em Engenharia de Agrimensura / Engenharia Cartográfica / Engenharia de Agrimensura e Cartográfica / Engenharia Cartográfica e de Agrimensura, a saber:

01- Universidade Federal de Viçosa – UFV (MG);
02- Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ (RJ);
03- Faculdade de Engenharia de Minas Gerais – FEAMIG (MG);
04- Universidade Federal do Piauí – UFPI (PI);
05- Universidade Federal da Bahia – UFBA (BA);
06- Universidade Federal de Alagoas – UFAL (AL);
07- Universidade Federal do Pampa – UNIPAMPA (RS);
08- Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais – IF Sul De Minas (MG);
09- Escola de Engenharia de Agrimensura – EEA (BA);
10- Faculdades Integradas de Araraquara – FIAR (SP);
11- Faculdade de Engenharia e Agrimensura de Pirassununga – FEAP (SP);
12- Universidade Do Extremo Sul Catarinense – UNESC (SC);
13- Universidade Federal do Paraná – UFPR (PR);
14- Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ (RJ);
15- Universidade Federal de Pernambuco – UFPE (PE);
16- Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP (SP);
17- Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (RS);
18- Instituto Militar de Engenharia – IME (RJ);
19- Universidade Federal de Uberlândia – UFU (MG);
20- Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS (RS);
21- Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA (PA);

 

 

Definição

Engenheiros Agrimensores e Cartógrafos são profissionais com forte embasamento técnico-científico habilitados a atuar na descrição, definição e monitoramento de espaços físicos, além da criação, organização, preservação e atualização de arquivos de informações geográficas e/ou topográficas.

Utilizando ferramentas matemáticas e estatísticas, aliadas à modernas tecnologias como posicionamento por satélites, sensoriamento remoto, geoprocessamento e sistemas de informações geográficas, coordenam e executam levantamentos topográficos, cartográficos, geodésicos, batimétricos e fotogramétricos, assim como desenvolvem atividades de georeferenciamento de Imóveis rurais, elaboram projetos e executam serviços de loteamento, desmembramento e remembramento de imóveis rurais e urbanos, locações de sistemas de saneamento, irrigação e drenagem, traçados de cidades, estradas, montagens mecânica de precisão, e outros serviços afins e correlatos.

É também função deste profissional a concepção e a elaboração de projetos que visem a sistematização do mapeamento nos níveis municipal, estadual e nacional.

 

 

Atribuição

Legalmente, conforme resolução nº 218 de 29 de junho de 1973 o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA), em seu art.1º,designou, para efeito de fiscalização de seu exercício profissional, as seguintes atribuições:

Art.1º
01- Supervisão, coordenação e orientação técnica;
02- Estudo, planejamento, projeto e especificação;
03- Estudo de viabilidade técnica-econômica;
04- Assistência, assessoria e consultoria;
05- Direção de obra e serviço técnico;
06- Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico;
07- Desempenho de cargo e função técnica;
08- Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica, extensão;
09- Elaboração de orçamento;
10- Padronização, mensuração e controle de qualidade;
11- Execução de obras e serviço técnico;
12- Fiscalização de obra e serviço técnico;
13- Produção técnica e especializada;
14- Condução de trabalho técnico;
15- Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção;
16- Execução de instalação, montagem e reparo;
17- Operação e manutenção de equipamentos e instalação;
18- Execução de desenho técnico;

No art. 4º desta resolução confere ao Engenheiro Agrimensor:

I- O desempenho das atividades 01 a 12 e 14 a 18, acima enumeradas, referentes a levantamentos topográficos, batimétricos, geodésicos e aerofotogramétricos; locação de:
a) Loteamentos;
b) Sistemas de saneamento, irrigação e drenagem;
c) Traçado de cidades;
d) Estradas; seus afins e correlatos.

II – O desempenho das atividades 06 a 12 e 14 a 18, referente a arruamentos, estradas e obras hidráulicas; seus serviços afins e correlatos. De acordo com a PL-1097/96, foi atribuido aos Engenheiros Agrimensores as atividades referentes a elaboração de projetos e execução de serviços de loteamento, desmembramento e remembramento do solo urbano.

c Art. 6º – Compete ao Engenheiro Cartógrafo ou ao Engenherio de Geodésia e Topografia ou ao Engenheiro Geógrafo:

I – o desempenho das atividades 01 a 12 e 14 a 18 do artigo 1º desta Resolução, referentes a levantamentos topográficos, batimétricos, geodésicos e aerofotogramétricos; elaboração de cartas geográficas; seus serviços afins e correlatos.

Em Setembro de 2012, em Porto Alegre, a Coordenadoria de Câmara Especializada de Engenharia de Agrimensura, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia – CONFEA, aprovou por unanimidade que os estudandes formados na nova denominação de Engenharia de Agrimensura e Cartográfica / Engenharia Cartográfica e de Agrimensura tenha a atribuição do artigo 4 (referente à Agrimensura) e 6 (referente ao Cartográfo) da resolução 218 até que a resolução 1010 seja implantada. A decisão foi encaminhada a todos os CREAs do Brasil. Veja o documento: download (.PDF).

A CBO – Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério do Trabalho e Emprego, possui uma descrição detalhada das atividades da Engenharia de Agrimensura e Cartográfica e outras profissões, bem como regime e condições de serviço,equipamentos utilizados, títulos e conteúdos das ocupações do mercado de trabalho brasileiro.

 

 

Mercado de Trabalho

Como o campo de atuação do Engenheiro Agrimensor e Cartógrafo envolve atividades nos diversos ramos da Engenharia, é relativamente amplo o mercado de trabalho, abrangendo obras viárias, núcleos habitacionais, edifícios, aeroportos, irrigação e drenagem, usinas hidrelétricas, linhas de transmissão de energia, telecomunicações, empresas de mineração, transportes, geoprocessamento, sistemas de água e esgoto, paisagismo, mapeamento em geral, dentre outros.

O País, Estados e Municípios carecem de profissionais que coordenem, implantem e fiscalizem o mapeamento sistemático de seus territórios.

Com as novas leis, a Lei 10.267/01, que institui o Cadastro Nacional de Imóveis Rurais e a Lei 10.931/04, que permite procedimentos administrativos, para retificação de limites de áreas, haverá um grande volume de trabalho para Engenheiros Agrimensores.

No que concerne ao ensino e pesquisa, é notável a demanda por estes profissionais

 

 

Disciplinas

Atualmente, para se graduar em Engenharia de Agrimensura é necessário cumprir uma carga horária de 3645 horas/aula, sendo 3225 horas para disciplinas Obrigatórias e 420 para disciplinas Optativas, podendo ser integralizado em um prazo padrão de cinco anos e um máximo de oito anos.

Para se graduar em Engenharia de Agrimensura, o acadêmico deverá cursar, dentre outras, as disciplinas dos seguintes grupos:

Formação básica:
Matemática, Física, Química, Mecânica, Processamento de Dados, Desenho, e Fenômenos de Transporte.

Formação geral:
Ciências Humanas, Sociais, Econômicas, Administrativas e Ciências do Ambiente;

Formação profissional geral:
Ciências dos Solos, Hidrologia Aplicada, Hidráulica, Irrigação e Drenagem, Saneamento Básico, Pesquisa Operacional, Transportes e Topografia.

Formação profissional específica:
Topografia, Geodésia, , Fotogrametria, Cartografia, Desenho Topográfico e Cartográfico, Loteamento, Cadastro Técnico Municipal, Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto,  Ajustamento de Observações, Sistemas de Informação Geográfica e Posicionamento por Satélites.

Complementação:
Divisão e Demarcação de Terras, Direito Agrário, Astronomia de Campo e Projeto Geométrico de Estradas .

 

 

Empresa Júnior

O acadêmico com perfil empreendedor poderá iniciar suas atividades ainda durante a graduação através da Empresa Junior de Engenharia de Agrimensura. – EJEAG, uma associação civil sem fins lucrativos, formada exclusivamente por estudantes de graduação, que presta serviços de consultoria e desenvolve projetos para empresas, entidades e a sociedade em geral nas suas diversas especialidades ou campos de conhecimento, sob a supervisão de professores especializados nas suas áreas de atuação.

 

 

Centro Acadêmico

O acadêmico pode ter a oportunidade de participar do Centro Acadêmico da Engenharia de Agrimensura e Cartográfica da UFV. O CA é uma entidade estudantil que representa os discentes do curso. Suas funções podem ser: a organização de atividades acadêmicas extra-curriculares como debates, discussões, palestras, semanas temáticas, recepção de calouros e realização de projetos de extensão; encaminhamento, mobilização e organização de reivindicações e ações políticas dos estudantes; mediação de negociações e conflitos individuais e coletivos entre estudantes e a universidade; realização de atividades culturais, entre outros.

 

 

Pesquisa

O estudante poderá também desenvolver seu pensamento científico, dedicando-se a pesquisa, através dos programas de bolsas de iniciação cientifica.
Após a conclusão do curso, o acadêmico que se interessa pela área acadêmica e de pesquisa pode tentar a seleção no programa de Pós Graduação em Engenharia Civil, na área de Informações Espaciais, no âmbito de mestrado ou doutorado

 

SAIBA MAIS SOBRE A UFV

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2013 - Mantido com Wordpress